O Ministério da Economia lançou no passado dia 16 de Janeiro a Linha Capitalizar, com uma dotação global de 1600 milhões de euros distribuída por um conjunto de instrumentos financeiros dirigidos maioritariamente a PME que visam:

  • apoiar investimentos de longo prazo
  • criar condições mais vantajosas de financiamento para Micro e Pequenas Empresas
  • alavancar a oferta de soluções de financiamento para investimentos em projetos com fundos comunitários
  • ampliar a oferta de operações de Fundo de Maneio
  • alargar o acesso a plafonds de crédito a todas as empresas.

Com montantes de financiamento entre 25 mil e 2 milhões de euros por empresa e prazos que variam entre 3 e 10 anos, a Linha Capitalizar vem reforçar um conjunto de instrumentos que permitem diversificar as fontes de financiamento e a melhoria das condições para o investimento das empresas.

Está disponível aos balcões dos bancos aderentes a partir de 01 de Fevereiro de 2017 e é estruturada da seguinte forma:

Linha “Micro e Pequenas Empresas”:

  • Dotação: 400 milhões de euros
  • Objetivo: potenciar o acesso a financiamento para investimentos em ativos e reforço de capitais para Micro e Pequenas Empresas;

Linha “Fundo de Maneio”:

  • Dotação: 700 milhões de euros
  • Objetivo: financiar necessidades de fundo de maneio das empresas com financiamentos de médio prazo, em alternativa ao crédito de curto prazo;

 Linha “Plafond de Tesouraria”:

  • Dotação: 100 milhões de euros
  • Objetivo: alargar a oferta de crédito em sistema de revolving, conferindo uma maior flexibilidade à gestão corrente de tesouraria;

 Linha “Investimento Geral”:

  • Dotação: 100 milhões de euros.
  • Objetivo: financiar investimentos em ativos com elevado prazo de recuperação.

 Linha “Investimento Projetos 2020”:

  • Dotação: 300 milhões de euros.
  • Objetivo: alargar a oferta de crédito bancário para financiamento de projetos aprovados no âmbito do Portugal 2020, com enfoque em despesas elegíveis e outros segmentos de mercado em que a Linha de Crédito e Garantias IFD 2016-2020 possa vir a revelar-se insuficiente

Para mais informações consulte o Documento de Divulgação.

Fonte: PME Investimentos