Todas as empresas devem integrar a sua gestão e ter as suas áreas ligadas, permitindo-lhes uma visão 360º da sua empresa, reduzindo custos e aumentando a rentabilidade.

Um dos aspetos fundamentais (ainda que dos mais subvalorizados) das empresas é a gestão empresarial. A gestão empresarial como conceito é a atividade que procura, através das pessoas, melhorar a produtividade e a competitividade das empresas ou negócios.

Alguns estudos sobre o controlo da gestão empresarial e a sua relação com os efeitos da crise económica, apresentam, no mínimo, resultados preocupantes. Uma grande parte das empresas concentra os seus esforços nas atividades próprias da atividade produtiva e comercial, mas presta muito pouca atenção à gestão dos resultados dessa atividade.

A gestão como atividade

Há alguns dias, um empresário comentou que «o melhor instrumento de gestão continua a ser o bom senso». Estamos de acordo, mas a primeira coisa a ter em conta é que a gestão tem de ser uma parte da nossa atividade e é preciso dedicar-lhe tanto tempo como à estratégia comercial, à produção ou à inovação.

A gestão empresarial é como uma orquestra e deve estar afinada, todos os instrumentos devem soar bem, mas, além disso, deve haver um maestro que saiba tirar proveito de cada um deles:

A informação sobre os custos assume um papel fundamental na gestão do dia-a-dia de uma empresa. Este tipo de informação é vital para a tomada de decisões e para a correta determinação das despesas (que devem, recomenda, ser controladas de forma rigorosa). De nada adianta ter um bom planeamento se, durante a execução, não existir um bom método de acompanhamento e gestão que permita garantir a realização do plano, medir os resultados, avaliar a eficiência, definir novas ações que viabilizem as metas.

A gestão significa também a coordenação do pessoal, dos recursos e do capital da empresa. De pouco serve ter certa vantagem competitiva se depois não sabemos aplicá-la corretamente na organização.

A obtenção de feedback do mercado em que nos movemos é vital para tomar decisões e preparar a nossa empresa para as contínuas mudanças que vão acontecer. Temos de retirar informações de todos os agentes com quem interagimos, clientes, fornecedores, concorrentes.

A gestão nos empreendedores

A pouca importância que é dada a esta área pode ser comprovada pelos números de insucesso dos empreendedores.

Uma pessoa que tem um projeto empresarial, investe muito tempo no desenvolvimento da sua ideia, na elaboração do seu plano de negócio, na procura de financiamento e até na elaboração de um bom plano de marketing.

No entanto, muitas empresas, com ideias magníficas e um bom nível de vendas, não conseguem ultrapassar o limiar dos três anos de atividade e encerram antes dessa data.

Em muitos casos, a explicação para este fracasso é a pouca atenção dada à gestão. Não importa se o produto é bom e, nem sequer, se tem vendas elevadas. O que importa é que exista um bom planeamento das margens de lucro e das despesas da atividade, e também, hoje em dia, dos recebimentos.

Pode acontecer não termos previsto o encargo financeiro da atividade e essas vendas não serem suficientes para o compensar, outras vezes, a falta de planeamento pode conduzir a uma situação de maior volume de atividade do que o esperado e não estarmos preparados para tal. A gestão ajuda-nos a prever todo este tipo de situações, mas há que fazê-la de forma rigorosa e dar-lhe a importância que realmente tem.

A gestão nas empresas

Uma gestão eficiente exige o recurso a ferramentas de controlo de gestão, que permitem um nível de controlo adequado de todas as áreas de negócio – software de gestão empresarial;

No atual ambiente adverso e repleto de desafios, os gestores devem ter na sua posse a informação e a metodologia necessárias para uma boa gestão;

Ter o controlo de todos os aspetos do negócio permite reduzir os custos de produção e distribuição, diminuir os tempos de rotação de stocks, melhorar a gestão financeira e de tesouraria, ter acesso a relatórios completos para controlar os riscos de negócio e tomar as melhores decisões estratégicas.

Uma gestão otimizada procura fazer melhor (e mais vezes) o que é correto. Para isso, é necessário identificar os fatores que influenciam o sucesso ou o melhor resultado dessa atividade. Utilizemos os meios para levar a cabo esta tarefa! É muito mais importante do que pensamos. Se não possuímos os conhecimentos necessários ou não temos tempo porque a nossa atividade não nos permite, procuremos ajuda nesse sentido porque, em última análise, o futuro do nosso negócio pode depender disso.

Um dos aspetos fundamentais das empresas é a gestão do negócio, com a qual tentamos melhorar a produtividade e a competitividade das empresas. Possuir o know-how e as ferramentas de gestão adequadas será um dos fatores-chave para alcançar os seus objetivos de sucesso.