Os chamados ‘soft skills’ digitais são cada vez mais importantes, sobretudo em regime de ‘home office’ no qual ainda estão muitos portugueses. Conheça as sete recomendações  para quem ingressa num novo trabalho remotamente.

A pandemia de Covid-19 obrigou muitas empresas a optar pelo trabalho remoto, fazendo com que a eventual integração de novos colaboradores se transformasse num novo desafio. Com base nesta temática, juntamos um conjunto de recomendações para que quem chega se sinta à vontade e integrado num ambiente de trabalho virtual.

Criar um kit de boas vindas

Prepare um pack de boas-vindas onde o novo membro possa encontrar tudo o que precisa para trabalhar e solucionar todas as dúvidas desde o início. Informações sobre a empresa, processos de trabalho, sessões de formação, etc. Tente fazê-lo o mais dinâmico possível para que seja útil e de fácil memorização.

Transmitir tranquilidade e confiança

Na situação atual, a segurança e o suporte são essenciais para aliviar a ansiedade ou incerteza que os novos colaboradores possam sentir ao iniciar uma nova função remotamente. É fundamental comunicar regularmente com eles e responder a quaisquer perguntas que tenham sobre o funcionamento do processo de integração e da empresa em geral. Aposte em videochamadas individuais e de grupo, ou experimente implementar newsletters e comunicados internos para manter o novo membro e o resto das pessoas informadas sobre as últimas notícias da organização.

Facilitar a integração na “comunidade”

Crie uma sensação de comunidade com o seu novo colaborador desde o início ao envolvê-lo com a equipa e incluindo-o em grupos de comunicação em que são geradas oportunidades para partilhar experiências e interesses além do trabalho (por exemplo grupos de WhatsApp).

Ser paciente

É normal experimentar falhas e erros de comunicação durante o processo de integração. Assim, tenha empatia e paciência ao apoiar o novo membro da equipa, ajudando-o a aprender novas ideias e transformando os erros em oportunidades no futuro.

Feedback mútuo

O processo de onboarding remoto deve envolver uma curva de aprendizagem ascendente para ambas as partes, novo colaborador e empresa empregadora. Certifique-se de perguntar-lhe como se sente regularmente e se há algo que possa ser melhorado pela organização.

Assegurar as ferramentas tecnológicas adequadas

Evite que o profissional se sinta frustrado por não possuir os dispositivos, mobília e programas necessários para trabalhar. Teste se tudo se encontra disponível e funciona corretamente antes da data de início do novo colaborador.

Dar prioridade ao bem estar

O novo colaborador vai querer impressionar e trabalhar mais para mostrar à empresa que é responsável e de confiança, o que pode resultar em trabalho fora de horas e risco de burn-out. Sublinhe a importância de desconectar ao final do dia e manter um bom work-life balance desde o início.