São os primeiros sinais de recuperação da atividade do alojamento local em Lisboa e Porto depois do início da pandemia. As ocupações nos dois mercados atingiram os 12% e 17%, respetivamente, no mês de julho.

Segundo os números do SIR – Alojamento Local, apurados pela Confidencial Imobiliário, este é o melhor desempenho registado desde o início da crise sanitária. Apesar de os níveis de atividade permanecem em patamares pouco expressivos, e que comparam com os 69% e 66% de julho de 2019, esta é uma recuperação face aos três meses anteriores, quando a ocupação deste tipo de alojamento nas duas cidades se manteve abaixo dos 10%, chegando a atingir 3% no Porto e 5% em Lisboa em maio.

No mês em análise, foram vendidas 7.000 noites no mercado de AL de Lisboa, que representam 6% das 113.000 noites vendidas em julho do ano passado. A recuperação foi mais forte no Porto, onde foram vendidas 12.000 noites, que representam 16% das 73.000 noites vendidas no período homólogo.

Este desempenho do mercado de alojamento local no Porto levou a uma recuperação do RevPAR para os 12 euros, que superam os 10% de Lisboa, melhorias face aos 4 a 8 euros registados nas duas cidades nos três meses anteriores. No entanto, estes valores comparam com os 50 e 60 euros registados no mesmo mês do ano passado, respetivamente.

Apesar do efeito da pandemia, as diárias médias mensais do alojamento local em oferta permanecem em níveis próximos do mercado pré-Covid. Em julho, foram atingidos os 91 euros em Lisboa e 75 euros no Porto.